Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

,

SMB 2018: “Educar o corpo para ser criança”, de Daniel Munduruku

25/05/2018

Nesta que é a Semana Mundial do Brincar, o Blog da Brinque publica uma pequena série de posts sobre o tema. Reforçando nosso manifesto, acreditamos no brincar uma das linguagens mais importantes da infância, direito e necessidade das crianças.

Ontem, publicamos o artigo de estreia da educadora e doutora em Antropologia Adriana Friedmann, coordenadora do Mapa do Brincar e do Nepsid. Hoje, vamos compartilhar um texto de Daniel Munduruku, escritor, ativista, publicado originalmente pela Aliança pela Infância.

“Kaba Darebu” / Daniel Munduruku (texto) e Mathé (ilustrações)

Educar o corpo e o espírito para ser criança

 

*Por Daniel Munduruku

Nascer é a coisa mais sublime que existe. Nascer em uma aldeia indígena, então, é a mais prazerosa. Não que seja melhor ou pior do que nascer num centro urbano. É diferente. Ali todo mundo cuida de todo mundo e cada pessoa tem um papel importante na realização do outro. É uma verdadeira comunidade educativa onde não existe gente melhor que outra e todos educam todos.

Aos avós, cabe educar nosso espírito.

Fazem isso contando as histórias que alimentam nossa imaginação e nosso pertencimento ao mundo que nos rodeia. As histórias nos dizem de onde viemos e nos remete ao que somos. É importante não esquecermos que somos parte do universo, nem mais nem menos. Parte. As histórias não nos deixam esquecer que somos parceiros da Criação, portanto cabe a cada um cuidar, plantar, regar e colher, cumprindo seu papel no bem-estar de todos os viventes, sejam humanos ou não. São os avós que nos lembram isso o tempo todo. É papel deles. É seu propósito.

Cabe aos pais educar nosso corpo.

Fazem isso proporcionando todas as condições para que possamos ser livres. Andar no mato, subir na árvore, nadar no rio, atirar com arco e flecha, conhecer o lugar em que vivemos, catar nossos piolhos e puxar nossa orelha fazem parte de sua missão de adulto. Eles não nos deixam um só minuto sem sua atenção porque sabem que educar é cuidar do nosso corpo para que possamos ser plenamente crianças.

Ser criança é apenas ser criança.

É respeitar este momento único em nossa existência. Nossa gente sabe que não pode nunca desejar que sejamos outra coisa a não ser o que somos no momento presente. À criança nunca se pergunta o que vai ser quando crescer porque sabemos que ela não será nada, simplesmente porque já é tudo o que precisa ser. Ser criança é, portanto, tudo o que ela precisa ser. E o que toda criança precisa para ser plenamente criança? Brincar.

Ser criança é, portanto, tudo o que ela precisa ser

 

Brincar de corpo e alma numa profunda atitude de respeito ao momento que se vive, ao mundo à sua volta, às outras expressões e formas de vida que consigo interagem.

É assim que aprendemos numa aldeia. É assim que nos tornamos completos, equilibrados, sabedores da dinâmica da vida. E tudo isso sem deixarmos de ser criança. Porque, no fundo, ser criança é interagir com o lado mágico da vida, é abrir-se para o mistério que cerca a existência.

O corpo lúdico da criança é a garantia de uma vida adulta saudável. Felizmente, somente o brincar pode nos oferecer isso. Criança que não brinca, não cria. Criança que não brinca, copia.


Comments ( 2 )

  • “É importante não esquecermos que somos parte do universo, nem mais nem menos. Parte”. Que perfeição, este texto. Falas pertinentes e essenciais. Parabéns, Daniel Munduruku! Tens o meu respeito.

  • Olá , gosto de todas as publicações e os autores que vocês teabalham . Todos de parabéns e agradeço a contribuição na minha prática pedagógica.

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP