Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Dia do Refugiado: livros sensíveis para falar de refúgio com as crianças

21/06/2021

20 de junho é o Dia Mundial do Refugiado. Há nada menos que 80 milhões de pessoas em situação de refúgio no mundo, obrigadas a fugas e deslocamentos forçados.

E você? Como seria se tivesse nascido no lugar deles? O que teria acontecido a você? É o que nos pergunta esse livro, lírico e impactante. Imagem:Poderia, de Joana Raspall (texto) e Ignasi Blanch (ilustrações)

Os pequenos leitores costumam ser sensíveis aos desafios do mundo que os cerca e ter facilidade de se colocar no lugar dos outros. Mas como levar essas reflexões para eles sem “pesar” a mão? O assunto, sabemos, não é “fácil”.

7 livros sobre refúgio para o Dia Mundial do Refugiado

A literatura, como sempre, pode ajudar! Afinal, os livros — e a arte — sempre nos colocam em contato com o humano em nós e no mundo, nos desafiando a outros olhares, ainda que de modo delicado e lúdico.

Não faltam obras sobre refugiados e refúgio, e a maioria com muita sensibilidade, lirismo, respeito e o cuidado que o assunto requer.

Selecionamos aqui algumas das mais bacanas, publicadas por Brinque-Book, Escarlate, Companhia das Letrinhas e Pequena Zahar. Para todas as idades e autonomias leitoras.

Bóra! <3

Dia Mundial do Refugiado1) Tem lugar pra gente?

Autores: Jol Temple e Kate Temple
Ilustradora: Terri Rose Baynton
Selo: Brinque-Book

Faixa Etária: A partir de 3 anos (leitura compartilhada) / a partir de 7 anos (leitura independente)

Uma pequena família de leões-marinhos precisa deixar o lugar onde vive e ir em busca de outro abrigo. O que já não seria muito fácil fica ainda mais difícil com a recepção que vão encontrando no caminho: ninguém parece disposto a compartilhar seu espaço com mãe e filho à procura de um novo lar.

Por que ler:

A grande surpresa vem no final do livro com um convite especial para que o leitor releia a história, dessa vez de trás para a frente. Quando isso acontece, tudo muda e uma nova realidade se mostra possível.

refugiados, refúgio, livrosMãe e filho são obrigados a deixar o lugar onde vivem. No caminho, não encontram boa acolhida. Mas o final inesperado nos enche de esperança. Imagem:Tem lugar pra gente?, de Jol e Kate Temple (texto), com ilustrações de Terri Rose

///

2) Poderia

Autora: Joana Raspall
Ilustradora: Ignasi Blanch
Tradutor: Alexandre Boide
Selo: Brinque-Book
Faixa Etária: A partir de 3 anos (leitura compartilhada) ou 7 anos (leitura independente)

“Você teria sido criado de outra maneira, talvez melhor, talvez pior. (…) Você poderia ler contos e poemas, ou não ter livros nem conhecer as letras”. Como seria sentir o que o outro sente? Como seria viver o que outro vive? Numa sequência de versos intensos e singelos, a obra nos transporta para mundos distantes e para outros muito próximos, nos faz pensar sobre nós mesmos e a nossa relação com o outro.

Por que ler:

A cada virada de página, as palavras ganham força, e as cores vivas das ilustrações irradiam empatia e afeto. Dos pequenos aos mais velhos, com extrema leveza, o livro sensibiliza e encanta.

///

3) Mustafá

Autora / Ilustradora: Marie-Louise Gay
Tradutora: Gilda de Aquino
Selo: Brinque-Book
Faixa Etária: A partir de 3 anos (leitura compartilhada) / A partir de 7 anos (leitura independente)

Mustafá conta a história de um garoto que teve de sair de seu país com a família e aos poucos descobre seu novo lar. A Lua, as estações, as flores, os insetos e a música desse lugar ora lhe lembram a sua antiga terra, ora o encantam pelo que têm de diferente do que ele já conhece. Mesmo com esse mundo novo a descobrir, Mustafá sente-se invisível ali onde as pessoas falam uma língua que ele não entende.

Por que ler:

Um dia, uma menina, com um gesto simples, irá mostrar a ele que a amizade, a gentileza e o afeto superam as fronteiras entre línguas e lugares.

Com os traços e a sensibilidade que já conhecemos, a premiada canadense Marie-Louise Gay nos conta uma poderosa história de superação pelo afeto. Imagem: Mustafá, de Marie-Louise Gay

///

4) O lenço branco

Autor / Ilustrador: Viorel Boldis
Tradutora: Eliana Aguiar
Selo: Pequena Zahar

Uma história comovente retratada com a intensidade e a força das xilogravuras em preto e branco e um belo texto poético.

Por que ler:

Permeado por memórias da infância do narrador e de sua vida rural deixada para trás, esse é um emocionante relato, do ponto de vista daqueles que emigram deixando para trás história, cultura e afetos.

///

5) O barco das crianças

Autor: Mario Vargas LLosa
Ilustradora: Zuzanna Celej
Tradutoras: Paulina Wacht e Ari Rotman
Selo: Companhia das Letrinhas

Diariamente, ao se preparar para ir à escola, Fonchito vê de sua casa um homem sentado no banco do parque, contemplando o mar. Intrigado, resolve ir ao seu encontro e perguntar o que ele procura ali, todas as manhãs. O velhinho, com um sorriso nos lábios, decide compartilhar com Fonchito uma história muito antiga e… extraordinária. Assim, sempre antes de o ônibus da escola chegar, Fonchito ouve um novo capítulo das aventuras de um barco cheio de crianças que, desde a época das Cruzadas, cruza os mares do mundo.

Por que ler:

O ganhador do Nobel de literatura, Mario Vargas Llosa, dedica este livro ao público mais jovem, construindo uma narrativa digna da tradição dos grandes contadores de histórias.

///

6) Eu sou uma noz

Autora:Beatriz Osés
Ilustrador: Jordi Sempere
Selo: Escarlate
Faixa Etária: A partir de 8 anos

Eu sou Omar e sou uma noz! Omar “cai” no quintal de uma advogada, vindo de um lugar longínquo, num barco-noz que naufragou. Sua tarefa: sobreviver e convencer um juiz de que, por ser uma noz, precisa ficar com Marinetti, uma advogada solitária e briguenta que deseja cuidar dele. Quando a realidade é absurda, um menino ser uma noz faz todo sentido.

Por que ler:

O discurso do narrador, os depoimentos de Omar e da vizinhança onde ele “caiu” nos conduzem, com suas múltiplas vozes, nesse conto de renascimento e imaginação. Sobrevivendo, Omar trouxe vida a uma comunidade e revelou, não apenas suas origens, mas também a de todos nós: quem nunca teve asas de borboleta, voou feito passarinho ou se sentiu um pêssego ou, quem sabe, nasceu castanha sem saber?

///

7) Valentes – Histórias de pessoas refugiadas no Brasil

Autoras: Aryane Cararo e Duda Porto de Souza
Selo: Seguinte

A questão dos refugiados tem ganhado holofotes pelo mundo inteiro, mas o preconceito, a xenofobia, as fake news e o medo frequentemente atrapalham a discussão. Para auxiliar na compreensão desse tema tão complexo e combater a desinformação, as jornalistas Aryane Cararo e Duda Porto de Souza reuniram histórias de vida emocionantes, de pessoas de mais de quinze nacionalidades, que vieram para o nosso país pelos mais variados motivos.

Por que ler:

Das mesmas autoras de Extraordinárias, Valentes é uma obra de referência sobre o tema do refúgio no Brasil. Vale ler com pré-adolescentes e adolescentes.

///

E você? Quais obras indicaria para esse tema? Essas sugestões te foram úteis?


Sem comentários no momento

Editora Schwarcz S.A. - São Paulo
Rua Bandeira Paulista, 702, cj. 32
04532-002 - São Paulo - SP