Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Nas telas: 5 filmes e animações imperdíveis para ver com crianças nas férias

16/12/2019

Nem todos são novos. Alguns estão nas plataformas de stream, como Netflix e Amazon Prime. Outros nos acervos de TV por assinatura. Talvez um ou outro deem mais trabalho para achar. Mas todos valem muito a pena!

Estamos falando da lista de filmes abaixo que — se você e sua família curtem um programinha caseiro do tipo combo TV-sofá-pipoca — é muito especial para curtir animações e filmes com os pequenos.

Em comum, as obras têm o cuidado estético, a qualidade, uma história bem construída e temas e formas que fogem de estereótipos e não subestimam a inteligência dos pequenos.

Que tal inverter e convidar os pequenos a mergulhar no audiovisual, dando um descanso ao papel de controlador /a das telas?

1. Kiriku e a feiticeira

Michel Ocelot e Raymond Burlet
França, 1998, 71 min., livre

A película conta a história de Kiriku, um menino que nasceu surpreendentemente autônomo e que está destinado a enfrentar uma feiticeira.

>>POR QUE VER: Inspirado em lendas do folclore do oeste africano, tem uma estética bem diferente da dos desenhos animados em geral e conta, ainda, com caprichada trilha sonora do músico senegalês Youssou N’Dour. A história — e o papel da criança e da feiticeira — é surpreendente.

///

2. A fuga das galinhas

Peter Lord e Nick Park
Inglaterra / EUA, 2000, 84 minutos, livre

Ginger é uma das galinhas que vive na fazenda de ovos dos gananciosos Tweed.  Lá, as aves trabalham quase sem parar para bater metas da produção de ovos, confinadas em um galinheiro que lembra campos de trabalho forçado. Líder natural, Ginger tenta fugir muitas vezes, sozinha e sem sucesso. Até que descobre que o destino das colegas de galinheiro pode piorar ainda mais e decide convencê-las a aderir ao um arriscado plano de fuga.

>>POR QUE VER: Todo em stop motion, o filme trata de política e direitos de uma forma divertida e irreverente. A opressão, o preconceito, o medo, o poder de uns sobre os outros, a ação coletiva — e não individual — como única forma possível de enfrentamento das desigualdades… está tudo isso lá, com uma estética que foge ao comum.

///

3. Anina

Alfredo Soderguit
Uruguai / Colômbia, 2013, 80 min., livre

Anina é uma garota de 10 anos, criativa, esperta, corajosa e muito sábia, que tem de lidar com provocações e reveses em suas amizades. Em meio a problemas em casa e na escola, se mete na maior confusão quando briga com uma colega: a diretora, como castigo, entrega a ambas as meninas um envelope solene que deve ser guardado sem que elas o abram.

>>POR QUE VER: a premiada película, uruguaia — que tem ilustrações lindíssimas e uma trilha sonora poderosa — trata de muitos temas delicados e importantes para as crianças: família, escola, relações. Fala dos delicados limites e das contradições entre o indivíduo e o grupo, adultos e crianças, autoridade e autoritarismo. Tudo isso com beleza e poesia — e um boa dose de intensidade.

///

4. O menino e o mundo

Alê Abreu
Brasil, 2014, 85 min., livre

Cuca é um menino que vive numa pequena cidade e vê seu pai partir em busca de melhores condições de vida e trabalho. Com saudades, Cuca faz as malas, toma o mesmo trem do pai e parte numa jornada em busca do reencontro tão desejado.

>>POR QUE VER: filme brasileiro premiado e aclamado mundo afora, foi indicado ao Oscar. Alê Abreu fez um trabalho quase artesanal nesta animação, misturando técnicas como desenho com lápis e giz de cera e também colagens. A trilha sonora — de Gustavo Kurlat e Ruben Feffer — é essencial para a narrativa. A temática vai de amor e família às questões tão familiares para os brasileiros, como opressão, desemprego e esperança x desesperança. Lindíssimo!

///

5. Ponyo – uma amizade que veio do mar

Hayao Miyazaki
Japão, 2008, 101 min., livre

Sosuke é um menino de cinco anos que vive com a mãe, Lisa, no topo de uma montanha à beira mar, no Japão. Um dia, ele encontra um peixe dourado preso num pote de vidro e salva a vida do peixinho e deseja ficar com ele, nomeando-o Ponyo. O peixinho, no entanto, é uma poderosa figura do mar que quer virar uma menina humana.

>>POR QUE VER: a história é ao mesmo tempo de aventura e amor, e assume abertamente o ponto de vista das duas crianças, que têm como aliadas as suas  respectivas mães. Esteticamente lindo, é do mesmo diretor e estúdio do vencedor do Oscar A viagem de Shihiro. Repleto de reflexão e metáforas, faz pensar nas relações com os outros — aceitar as pessoas integralmente como são — e com o mundo — o meio-ambiente em colapso pode ser lido como pano de fundo da obra.

///

E você? Compartilhe com a gente a sua lista! 🙂

 


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP