Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Pedro e Tina: conheça esta delicada história de amizade, diferenças e afeto

28/04/2020

O autor australiano Stephen Michael King é conhecido por seus traços e histórias aparentemente simples, mas de profunda força poética.

Cores e metáforas poéticas para mostrar as relações. Imagem: O homem que amava caixas, de Stephen Michael King

São os casos de vários de seus livros mais amados — e conhecidos –, como O homem que amava caixas, Vira-Lata, A árvore magnífica (com texto de Nick Bland) e Pedro e Tina.

Você já deve ter se emocionado com suas histórias sensíveis, delicadas, afetuosas e divertidas, não?

Pedro e Tina na vida real

Quando esteve no Brasil, a convite da Brinque-Book, em 2018, para lançar O urso de todas as cores, Stephen compartilhou com a gente a inspiração e a origem de várias dessas histórias.

Stephen Michael King no Brasil, em 2018: histórias, inspiração e muito afeto. Imagem: acervo Brinque-Book

A maioria delas surge das experiências do autor e do modo afetuoso com que ele se relaciona com pessoas e situações.

O que explica por que o que Stephen conta é tão profundo, bonito, afetivo.

O homem que amava caixas, por exemplo, fala da relação distante, porém cheia de amor, entre ele e seu pai.

Vira-Lata ficcionaliza um fato que aconteceu em sua família: um dia, um cachorro apareceu no abrigo para pessoas em situação de rua onde trabalhava a irmã de Stephen.

Ganhador do selo Acervo Básico, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), livro que conta a história de um vira-lata também é inspirado nas experiências de Stephen. Imagem: Vira-Lata, de Stephen Michael King

O cachorro foi ficando, mas o abrigo não poderia mantê-lo. Foi quando a irmã resolveu doá-lo a Stephen: “vocês têm personalidade parecida”, disse ela.

 

Stephen & Trish

Pedro e Tina tem uma força extra: o autor compartilhou com a gente, nos mesmos encontros lá em 2018, que essa história é uma metáfora da relação dele com Trish, sua mulher.

Ele contou que Pedro é ninguém menos que ele mesmo: sonhador, artista, colorido e fora dos padrões.

Já Trish -ou Tina- tem um perfil mais organizado e prático. É ela, por exemplo, quem lê seus novos projetos antes que eles sejam apresentados ao mundo.

—“

Quando encontrei Trish, soube que finalmente poderia ser quem eu era

“—

Stephen Michael King

Pedro e Tina no livro

No livro, Pedro é um menino encantador, que faz linhas curvas — nunca retas –; que olha para o miúdo do chão, enquanto todos miram o alto e grandioso do céu; que anda de trás para frente e nunca leva o guarda-chuva.

Sempre que tentava fazer uma linha reta, Pedro acabava desenhando formas muito mais interessantes, não acha? Imagem: Pedro e Tina, de Stephen Michael King

Um sonhador adorável!

Ou uma criança! Você deve conhecer essa cena: a gente correndo, apressados, cheios de compromissos, e os pequenos querendo parar de florzinha em florzinha, de bichinho em bichinho, a cada coisinha que eles veem no chão.

Já Tina é o oposto: faz tudo certinho, nunca amarra errado o cordão dos sapatos, sempre coloca a manteiga do lado certo e nunca, nunca mesmo, esquece o guarda-chuva.

Um dia, esses dois se encontraram e…

Bem, digamos que Tina organizou Pedro, que bagunçou Tina 😉

Diferenças e afeto

Mesmo com tudo diferente — e até por causa disso –, Pedro e Tina se complementam e se ajudam. Se Pedro é sonhador demais, Tina o ajuda a realizar.

É com ela que ele aprende a escrever, descobre direita e esquerda e que o céu é pra cima — sim, tem coisas bacanas lá em cima também, não só no miúdo ao rés do chão.

É com ela que Pedro consegue construir uma casa na árvore — que metáfora bonita para uma relação e mesmo a construção da identidade, não? Os pequenos –e nós — estamos sempre construindo nossas casas, não é mesmo?

Ao mesmo tempo, Tina, realizadora e organizada, permite-se o prazer da fruição, de usar um chapéu que não combina com o casaco, de rolar morro abaixo sem razão aparente…

Tina planeja a casa, mas constrói uma morada divertida, inovadora, afetuosa, incomum e cheia de “desimportâncias”; aprende a leveza, a beleza, o afeto, desorganizados, sonhadores, que não fazem uma linha reta 😉

Para ler com as crianças

Esse livro é muito muito especial. Ele fala tanto ao coração… Especialmente dos pequenos, porque traz um protagonista tão parecido com o modo como eles sentem o mundo!

Então, escolhemos algumas dicas bem sensíveis para enriquecer o momento da leitura e trazer algumas reflexões para os adultos mediadores:

Pedro ensina Tina a usar casaco e chapéu sem combinar. O que as crianças podem nos ensinar? Imagem: Pedro e Tina, de Stephen Michael King

1) Leia com tempo!

Essa obra precisa de tempo. As ilustrações contam a história. Há todo um uso dos tamanhos, da relação texto-imagem, que demanda tempo e muitas leituras.

2) Deixe as crianças ditarem o tempo!

Deixe-as manusear a obra, ver e rever as ilustras, observar todos os detalhes, que revelam muito do que Stephen quis contar com essa história tão sensível.

3) Ouça

O que as crianças contam para você quando você lê para elas? O que elas perguntam? O que chama a atenção delas na história, nas personagens, nas ilustrações? Esse diálogo é muito revelador e enriquecedor para todos.

4) Repare no ritmo

O texto pode ganhar um ritmo. Não tem rima, mas Stephen organiza a palavra de uma maneira que ela ganha movimento e, com isso, ele consegue evidenciar as contradições entre Pedro, as pessoas, e Tina. Leia, leia várias vezes até perceber esse ritmo e usá-lo na hora de contar.

5) Repare nas ilustrações

O que Stephen nos conta apenas com as ilustrações desse livro? Repare nelas com calma, leia de novo, sem pressa. Repare na cena da casa: o que Tina está fazendo, que instrumentos usa, e, ao mesmo tempo, o que faz Pedro? E como ficou a casa? Essas são respostas que só as ilustras vão dar — de forma brilhante!

Tina ajuda Pedro a realizar. Mas o que Pedro realiza é sempre fruto de sua imaginação. Imagem: Pedro e Tina, de Stephen Michael King

Conversas ao pé do ouvido

Pedro e Tina nos mostra — e também mostra às crianças, embora elas já saibam disso — que as diferenças são complementares… Que equilíbrio é uma virtude.

Que é preciso pensar, mas também é preciso sentir.

E que amizade é algo mágico, muito precioso, que nos pode transformar, assim como a arte, que não tem um objetivo, mas nem só de coisas úteis vivemos a vida!

Que tal contar ao seu filho sobre seus amigos? Quem são eles? Como são? Como você se sente com eles? O que aprendeu?

Esse diálogo gera vínculo, um vínculo tao verdadeiro e afetivo quanto nossas memórias e histórias, como essas, que Stephen nos conta tão bem 😉

///

Pedro e Tina

Autor: Stephen Michael King
Ilustrador: Stephen Michael King
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Ética / Conto / Humanos / Convivência social / Opostos / Amizade / Respeito às diferenças
Faixa Etária: A partir de 2 anos
R$ 48

///

E você? Conte para a gente sua experiência de leitura desse livro ou de outros do Stephen. Que amizades transformaram sua vida?

 


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP