Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

O humor na formação leitora, dicas e títulos para ler no Dia do Riso

06/11/2020

Ahahahaha. Já gargalhou? Já se acabou de rir com as crianças? Pois aproveite, que hoje, 6/11, é Dia do Riso! 😉

O riso faz bem, nos ajuda trabalhar as emoções e diminui as chances de somatizarmos o estresse.

Escovar as orelhas? Nesses livros divertidos, palavras e ilustrações se complementam na gargalhada. Imagen: Cadê o juízo do menino?, de Tino Freitas (texto) e Mariana Massarani (ilustrações)

Além disso, é bom para os sistemas endócrino e imunológico: aumenta as defesas do organismo e ainda diminui os hormônios ligados às tensões.

Segundo o Hcor – Hospital do Coração-, rir rejuvenesce: movimenta a musculatura do rosto, relaxa o corpo por até 45 minutos e ainda ajuda a diminuir a intensidade de sentimentos como raiva.

Mais humor, por favor

O humor é, ainda, ótimo para criar memórias! Aquelas situações engraçadas que vivemos na infância, por exemplo, ficam sempre marcadas e acabam virando piada interna da família, já reparou?

Que tal dar uma força para esses momentos descontraídos e prazerosos acontecerem por aí?

Ler é divertido – formação leitora com prazer

A gente já falou por aqui aqui sobre isso, mas vale relembrar: rir é bom para os leitores também!

  • Formar leitores é compartilhar paixões com as crianças; a gente até lê por obrigação, mas só vira leitor se gostar de ler;
  • Para os pequenos, o momento de leitura é super esperado exatamente porque envolve afeto, colo, carinho, presença e, claro, uma boa dose de prazer e diversão
  • Rir, se divertir, se emocionar, se identificar, se projetar são alguns dos elementos essenciais para uma leitura chegar ao leitor

O prazer e a diversão, sim, são parte importante da formação leitora.

Por isso, é tão importante escolher as obras para as crianças pensando naquilo que elas gostam, nos temas pelos quais se interessam, pensando em gêneros que fazem brilhar seus olhinhos.

Muitos recursos de humor podem ser explorados com as crianças. Imagem: Pequenas histórias para grandes curiosos, de Marie-Louise Gay

Também é essencial que nós, adultos mediadores, apresentemos obras de que gostamos, porque, em parte, é nossa paixão que vai contagiar as crianças.

Na hora da leitura, pode ser uma boa estratégia deixar que os pequenos escolham o que querem ler. Você pode selecionar uma obra e deixar a outra por conta das crianças.

Ou um dia de cada! Que tal?

Livros para rir

Trouxemos uma seleção de livros divertidíssimos para sua família aproveitar as obras bem-humoradas.

No final do post, deixamos três ideias para você não se esquecer dos momentos de riso aí na sua casa e gargalhar muito mais!

1) O livro errado

Autor: Nick Bland
Ilustrador: Nick Bland
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Humor / Leitor personagem / Animais / Seres fantásticos
Faixa Etária: A partir de 2 anos

Na divertida obra do premiado autor Nick Bland, o garoto Nicolas Icle tenta contar uma história, mas a cada vez que o pequeno inicia a contação um novo personagem invade a narrativa.

E é assim com um elefante, alguns monstros, uma rainha e sua comitiva, um pirata… Não adianta avisar a ninguém de que eles estão no livro errado, pois outros personagens continuam surgindo!

Será que o garoto irá conseguir contar sua história antes que o livro termine?

>>Por que ler:

Premiado pela Crescer, esse livro, do também premiado Nick Bland, brinca com personagens de histórias clássicas, como Pinoquio e Flautista de Hamelin. Muito humor e referências divertidas para compartilhar com os pequenos.

///

2) Pequenas histórias para grandes curiosos

Autora: Marie-Louise Gay
Ilustradora: Marie-Louise Gay
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Humor / Cotidiano / Criatividade / Imaginação
Faixa Etária: A partir de 2 anos

O que você vê quando fecha os olhos? Você conhece alguém invisível? Sabe o que tem na toca do coelho? E que os caracóis recebem visitas em suas conchas? Por que os gatos atacam poltronas? Como as mães ouvem através das paredes?

Em 19 pequenas histórias, em formato de HQ, Marie-Louise Gay narra essas e outras aventuras divertidas, poéticas, reflexivas, lúdicas. Com seus traços delicados e cores características, a premiada canadense, autora das séries Estela, Marcos e de livros como Onde começa a história?, nos leva a uma jornada de perguntas e descobertas, que nascem da grande curiosidade dos pequenos leitores.

>>Por que ler:

O humor de Marie-Louise nessa obra é diverso: às vezes sutil, às vezes bem evidente, mas sempre sempre construído tendo as experiências infantis como ponto de partida. Identificação na certa e muitas risadas.

///

3) A princesa e o gigante

Autora: Caryl Hart
Ilustradora: Sarah Warburton
Temas: Rima / Humor / Onomatopeias
Faixa Etária: A partir de 3 anos (leitura compartilhada) ou 7 anos (leitura independente)

Em uma vila muito alegre, com árvores magníficas e jardins coloridos, vivia uma princesa irreverente. Seu mordomo? Um ratinho! Sua ajudante? Uma gata. Seu pai? Cozinhava. E a mãe? Lenhas cortava. No quintal, um pé de feijão. E, no alto dele, o que havia?

Hum, isso você já deve imaginar: um gigante resmungão! A princesa Sofia não conseguia dormir, e tudo porque o gigante mal-humorado ficava marchando para lá e para cá a noite inteira. Mas, ao ler seu livro preferido de contos de fadas, ela logo teve uma ideia genial.

>>Por que ler:

Divertido, cativante, irreverente. Essa obra, além de arrancar gargalhadas, nos remete a contos clássicos e ao poder dos afetos e das histórias.

///

4) Cadê o juízo do menino?

Autor: Tino Freitas
Ilustradora: Mariana Massarani
Temas: Humor / Convivência social / Cotidiano / Imaginação
Faixa Etária: A partir de 2 anos

Os parafusos apertam bem apertadinho o juízo no lugar e impedem a cabeça de fazer pequenas – e grandes – confusões. Mas, nesse dia, o menino acordou sem o seu e já foi fazendo trapalhadas. Penteou o cabelo com a escova de dentes, passou manteiga na maçã, foi para a escola de pijamas e assistiu à aula de cabeça para baixo, imagine só!

Onde será que foi parar o parafuso? O livro é todo rimado e cheio de repetições bem ao gosto dos pequenos leitores e ouvintes. As belas imagens de Mariana Massarani são um convite a mais diversão. Aliás, são nas ilustrações dela que está a resposta à pergunta do título. Repare com atenção no que começa depois que Tino Freitas escreve o (primeiro) “fim”.

Quem será que vai achar o juízo do menino?

>>Por que ler:

Selecionado para a lista dos 30 Melhores Livros da Crescer em 2010, o livro é uma delícia de ler. Além do texto divertido, as ilustrações de Massarani, duas vezes ganhadora do Jabuti, acrescentam mais camadas de humor à trama. Ah, o final é diversão extra!

///

5) A queda dos Moais

Autoras: Blandina Franco e Patricia Auerbach
Ilustrador: José Carlos Lollo
Temas: Ficção em 29 tipos de texto (crônica, lista, mensagem virtual, gráfico e outros) / humor / curiosidades
Faixa Etária: A partir de 8 anos

Finalmente as férias chegaram, e Joaquim pode se divertir. Acontece que seus pais decidiram levar a família para conhecer a Ilha de Páscoa e, segundo o garoto, não há nada ali, além do fato de a grande atração do local ter caído de cara no chão.

Assim começa a saga do clube PaSNo – Pais Sem Noção – uma hilária e curiosa viagem pelo mundo dos moais e pelas mais diversas formas de escrita. Em uma narrativa ficcional que percorre 29 tipos de texto, A queda dos moais trata, principalmente, de grandes momentos compartilhados com quem mais amamos, da perspectiva de um pré-adolescente.

>>Por que ler:

Além de divertido, o livro é todo escrito na perspectiva do Joaquim, ressaltando, de forma bem-humorada, as diferenças de pontos de vista entre as gerações. O trio de autores, além disso, inovou muito no formato: a obra não tem narrador! Acompanhamos as aventuras da famílias através de reportagens, fotos, HQs, panfletos, e-mails e até mensagens de WhatsApp, olha que bacana.

///

Álbum de memórias hilárias

Formar memórias para as crianças! Que presente, não é mesmo? As leituras que indicamos aí em cima certeza que vão marcar bons momentos.

Além delas, o que de mais engraçado vocês fazem juntos? E como você registra essas gargalhadas coletivas? Que tal ter um álbum de memórias hilárias? 😉 Olha só algumas dicas para estar sempre atenta ao riso:

1) (des) Glossário familiar

Quem nunca errou? Quem nunca se enrolou na hora de chamar um filho ou falar uma palavra? Saiu esquisita a frase e todo mundo caiu na risada? Anote! Sim, registre o “erro” e crie um glossário ao contrário, um (des) glossário familiar, com frases e palavras que só vocês conhecem.

Isso vale para os bebês! Que letras os seus trocam? Como eles pedem água? Como falam “banho”? Ou que nome deram à fruta preferida?

///

2) Pílulas de sabedo-ria

Uma coisa que as crianças fazem bem é cunhar frases de efeito engraçadinhas, que logo viram folclore na família. Geralmente quando estão perguntando ou explicando alguma coisa, sempre sai coisa boa!

Faça um caderno com essas conversas, especialmente as divertidas, engraçadas, irreverentes.

As crianças são observadoras, sinceras e geralmente espirituosas na hora de compartilhar suas observações. Essas frases rendem ótimas memórias para compartilhar quando elas forem mais crescidinhas.

///

3) Álbum de gargalhografias

Já ouviu falar em gargalhografias? Pois saiba que elas são exatamente como as fotografias, só que tiradas em momentos em que estamos rindo muito! 😉

Temos sempre um celular por perto. Então não é difícil ter uma câmera na mão — e um riso no rosto — quando a molecada começar a fazer uma bagunça engraçada, quando estiverem rindo sem parar, com uma fantasia hilária ou vivendo um momento divertido que valha guardar na memória!

Bóra?

///

E você? O que tem feito de divertido com as crianças?

 

 


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP