Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

“O crocodilo que não gostava de água” tematiza as diferenças; ouça aqui

20/04/2020

O que se espera de um crocodilo? Entre outras coisas, a gente aprende que esses répteis adoram um banho de sol na beira do lago e, claro, um bom mergulho!

São muito bons caçadores em meio aquático!

Mas, nesta premiada história, da também premiada ilustradora catalã Gemma Merino, havia um pequeno crocodilo que não gostava de água.

A banheira era o paraíso dos crocodilos. Menos para um deles. Imagem: O crocodilo que não gostava de água, de Gemma Merino.

Todos os seus muitos irmãozinhos viviam nadando serelepes e animados no lago, na piscina, na banheira.

Menos ele.

Nosso protagonista preferia, na verdade, subir em árvores altas, bem altas — e bem secas! Com sua bota, ficava lá no alto, protegido da água.

Ele preferia a árvore, que era alta e seca. Só que, ali, ficava sozinho. Imagem: O crocodilo que não gostava de água, de Gemma Merino

O problema é que só ele gostava desse tipo de aventura. A mãe e o irmão, no entanto, divertiam-se a valer na água.

Não era tarefa fácil se manter seco quando todos à sua volta pareciam tão felizes mergulhados.

Nosso pequeno até tentava acompanhar os irmãos. Fez o que pode, usou boias, tomou coragem, até mergulhou.

O crocodilo até tentou acompanhar os irmãos… Imagem: O crocodilo que não gostava de água, de Gemma Merino

Mas a água não lhe causava prazer nenhum, só uma espécie estranha de alergia e… espirros!

Espirros mesmo?!?

Essa é uma fábula bem atual, inspirada num clássico da literatura, que nos traz um tema bem contemporâneo:

As diferenças existem, e a gente pode optar por tentar ser como os outros — o que o crocodilo faz até certo ponto da história — ou deixar aflorar a nossa essência, que é sempre diversa.

É nessa diversidade de cada um que vemos que a diferença é complementar e que a diversidade é a nossa  grande fortaleza.

Ao se permitir ser quem é, o crocodilo sai da posição de solidão e inferioridade com a qual se identificou e transforma-se — quase literalmente — no motor que faz sua família tirar os pés do chão!

E mais não dizemos para não dar spoiler!

>>Leia aqui um trecho dessa obra 🙂

Ouça isso!

Esse lançamento da Brinque-Book para crianças a partir de dois anos foi contado pela Cia Ruído Rosa.

Você pode ouvir aqui mesmo (abaixo) ou ir direto para o canal da companhia no Spotfy.

5 dicas para aproveitar mais

Você já deve ter notado as semelhanças entre esse enredo e a clássica história do Patinho Feio, certo?

1) Deixe as crianças notarem

A primeira sugestão é deixar as crianças notarem por elas mesmas, primeiro, a inspiração da obra na clássica história de Hans Christian Andersen.

Se você tiver esse livro por aí, vale contar novamente, mas sem fazer as conexões entre ele e nosso crocodilo.

2) Se for o caso, conecte as histórias

Mas depois — se as crianças não notarem — é bacana lembrá-las. Essas conexões são importantes e enriquecem o repertório leitor e a qualidade da leitura.

Parte do prazer de ler vem dessas descobertas! 😉

3) Mergulhe nas ilustrações

Outra dica é explorar as ilustrações e as cores usadas pela Gemma Merino. Chame a atenção dos pequenos para a cena do crocodilo com os irmãos na cama, por exemplo.

Repare de quantas formas a autora nos conta que o crocodilo é diferente dos seus irmãos. Imagem: O crocodilo que não gostava de água, de Gemma Merino

Nessa cena, a ilustradora reforça a diferença e a sensação de solidão do protagonista pela cor que ela usa nele, que é diferente da dos irmãos.

Além disso, percorra a ilustra para achar outras pistas dessa diferença: todos dormem, nosso crocodilo, não. E os sapatos de todos, como são?

4) Procure e ache as pistas

Ao longo do livro todo, a autora vai trabalhando esses constrastes nas imagens. Repare que o personagem está quase sempre sozinho e quase sempre diferente dos irmãos.

A solidão do crocodilo, que dura enquanto ele faz o que pode para imitar os irmãos, é contada de várias maneiras nas ilustras do livro. Imagem: O crocodilo que não gosta de água, de Gemma Merino

5) Cores complementares

Gemma também usa as cores como recurso de linguagem, olha que bonito: repare que o livro é feito principalmente usando as cores vermelho e verde, que são opostas complementares.

No final da história, o crocodilo traz o fogo para a história, que é oposto da água, mas complementar.

O que será que Gemma quer dizer com isso? 😉

Conheça Gemma Merlino

Gemma Merino nasceu na Catalunha (norte da Espanha) e se formou em arquitetura, em Barcelona (Espanha).

Depois de viver e trabalhar em Dublin (Irlanda), Tel Aviv (Israel) e Londres (Inglaterra), descobriu o mundo fascinante dos livros ilustrados.

Gemma ganhou o prestigiado Macmillan Prize for Childrens Illustration enquanto ainda estudava para seu mestrado em Ilustração de Livros Infantis na Escola de Arte de Cambridge.

A obra O Crocodilo que não gostava de água já foi publicada em 17 idiomas e recebeu diversos prêmios, como o Coventry Inspiration Book Awards e o Bishop Stortford Picture Book Awards. 

///

O crocodilo que não gostava de água

Autora: Gemma Merino
Tradutor: Gilda de Aquino
Temas: Respeito às diferenças / Relacionamento familiar / Autoconhecimento / Identidade / Animais / Humor
Faixa Etária: A partir de 2 anos (leitura compartilhada) ou 6 anos (leitura independente)
R$ 39,50

///

E você? Conte o que achou desse livro aqui nos comentários!

 


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP