Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Como se divertir com as crianças nas férias # 3: cinco cantigas de acumulação para os pequenos

23/01/2019

Crianças pequenas adoram cantigas de roda e brincadeiras de acumulação e repetição. Estão interessadas na língua e em desvendá-la e, por isso, sentem muito prazer em antecipar o que virá na próxima frase ou no desafio de repetir e acumular palavras e estruturas narrativas.

Inspirados por livros de repetição -como Bruxa, bruxa, venha à minha festa, de Pat Ludlow (texto) e Arden Druce (ilustrações)- e de acumulação -como Carona na vassoura, da dupla premiada Julia Donaldson (texto) e Axel Scheffler (ilustrações)-, selecionamos cantigas e brincadeiras de roda que usam esses dois recursos narrativos para você jogar com seus pequenos.

Crianças pequenas gostam de jogos de acumulação e repetição, pois adoram brincar com a língua

 

Além da seleção de parlendas, a gente escolheu algumas versões musicadas dessas brincadeiras para você tocar com os pequenos. Tem Tiquequê, Palavra Cantada,  vários outros intérpretes e, entre eles, até uma versão orquestrada de 1960 -da Orquestra e Coro Carroussell– de uma famosa cantiga. Tudo nessa playlist do Spotify, que a gente organizou e compartilha aqui: Parlendas para brincar – Brinque-Book

 

Agora vamos à lista?

Ilustração de: Carona na vassoura, de Julia Donaldson (texto) e Axel Scheffler (ilustração)

1-) A velha a fiar: essa conhecidíssima cantiga de acumulação remete à infância de muitas gerações. “Estava a velha em seu lugar, veio a mosca lhe fazer mal: a mosca na velha e a velha a fiar…” Assim começa uma enorme brincadeira em que entram novos personagens e ninguém sai. Consegue cantar até o fim sem esquecer de nenhum?

Estava a velha em seu lugar
Veio a mosca lhe fazer mal
A mosca na velha e a velha a fiar

Estava a mosca em seu lugar
Veio a aranha lhe fazer mal
A aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava a aranha em seu lugar
Veio o rato lhe fazer mal
O rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava o rato em seu lugar
Veio o gato lhe fazer mal
O gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava o gato em seu lugar
Veio o cachorro lhe fazer mal
O cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava o cachorro em seu lugar
Veio o pau lhe fazer mal
O pau no cachorro, o cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava o pau em seu lugar
Veio o fogo lhe fazer mal
O fogo no pau, o pau no cachorro, o cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava o fogo em seu lugar
Veio a água lhe fazer mal
A água no fogo, o fogo no pau, o pau no cachorro, o cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava a água em seu lugar
Veio o boi lhe fazer mal
O boi na água, a água no fogo, o fogo no pau, o pau no cachorro, o cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava o boi em seu lugar
Veio o homem lhe fazer mal
O homem no boi, o boi na água, a água no fogo, o fogo no pau, o pau no cachorro, o cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava o homem em seu lugar
Veio a mulher lhe fazer mal
A mulher no homem, o homem no boi, o boi na água, a água no fogo, o fogo no pau, o pau no cachorro, o cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

Estava a mulher em seu lugar
Veio a morte lhe fazer mal
A morte na mulher, a mulher no homem, o homem no boi, o boi na água, a água no fogo, o fogo no pau, o pau no cachorro, o cachorro no gato, o gato no rato, o rato na aranha, a aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar

2-) Na loja do mestre André: piano, flauta, violino e, em algumas versões, até campainha! Quer música? Na loja do mestre André! Repetição e muito ritmo para divertir os pequenos. Essa versão encontramos aqui, nesta compilação incrível do Portal Lunetas.

Foi na loja do Mestre André
Que eu comprei um pianinho,
Plim, plim, plim, um pianinho
Ai olé, ai olé!
Foi na loja do Mestre André!

Foi na loja do Mestre André
Que eu comprei um violão,
Dão,dão,dão, um violão
Plim, plim, plim, um pianinho
Ai olé, ai olé!
Foi na loja do Mestre André!

Foi na loja do Mestre André
Que eu comprei uma flautinha,
Flá, flá, flá, uma flautinha
Dão,dão,dão, um violão
Plim, plim, plim, um pianinho
Ai olé, ai olé!
Foi na loja do Mestre André!

Foi na loja do Mestre André
Que eu comprei um tamborzinho,
Dum, dum, dum, um tamborzinho
Flá, flá, flá, uma flautinha
Dão, dão, dão, um violão
Plim, plim, plim, um pianinho
Ai olé, ai olé!
Foi na loja do Mestre André!

3) Cadê o toucinho que estava aqui? compõem essa brincadeira ingredientes como acumulação, repetição da estrutura narrativa e um tema que as crianças pequenas amam: achar e esconder; afinal, a parlenda é sobre um toucinho que sumiu porque um gato comeu… Mas e o gato, cadê?

Essa versão veio daqui. Mas há variações, como a musicada por Bia & Nino, em que a parlenda para no ovo (“cadê o ovo? / O ovo quebrou!”)

Cadê o toucinho que estava aqui?
O gato comeu.
Cadê o gato?
Foi pro mato.
Cadê o mato?
O fogo queimou.
Cadê o fogo?
A água apagou.
Cadê a água?
O boi bebeu.
Cadê o boi?
Foi carregar trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Foi botar ovo.
Cadê o ovo?
O frade comeu.
Cadê o frade?
Tá no convento.

4) A canoa virou: nesta aqui, a repetição é incrementada pela possibilidade de usar os nomes de quem participa da brincadeira. “A canoa virou, foi por deixá-la virar, foi por causa do Pedro, que não soube remar”. O Pedro vai adorar fazer parte da brincadeira e depois chamar outra pessoa para “afundar” o barco. Sem contar que não tem fim: dá pra repetir até cansar -ou até que todas as crianças tenham virado a canoa 🙂

A canoa virou
Pois deixaram ela virar
Foi por causa de Maria
Que não soube remar

Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar
Eu tirava Maria
Do fundo do mar

Siri pra cá,
Siri pra lá
Maria é bela
E quer casar

A canoa virou
Pois deixaram ela virar
Foi por causa de João 
Que não soube remar

Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar
Eu tirava João 
Do fundo do mar

Siri pra cá,
Siri pra lá
João é bonito 
E quer casar

5) A barata diz que tem: ninguém gosta muito dela no mundo real, mas, nas artes, a barata reina: tem conto em que ela é a protagonista, tem história clássica para crianças com a dona Baratinha e, claro, uma das parlendas mais conhecidas e divertidas de todas é sobre ela. Parlenda que, além de repetição, propõem um exercício de criação. Quem nunca inventou uma estrofe nova para essa cantiga?

A Barata diz que tem sete saias de filó
É mentira da barata, ela tem é uma só
Ah ra ra, iá ro ró, ela tem é uma só !

A Barata diz que tem um sapato de veludo
É mentira da barata, o pé dela é peludo
Ah ra ra, Iu ru ru, o pé dela é peludo !

A Barata diz que tem uma cama de marfim
É mentira da barata, ela tem é de capim
Ah ra ra, rim rim rim, ela tem é de capim

A Barata diz que tem um anel de formatura
É mentira da barata, ela tem é casca dura
Ah ra ra , iu ru ru, ela tem é casca dura

A Barata diz que tem o cabelo cacheado
É mentira da barata, ela tem coco raspado
Ah ra ra, ia ro ró, ela tem coco raspado


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP