Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Meio Ambiente em casa: conheça dicas e uma seleção de livros sobre o tema

04/06/2020

Hoje, dia 5 de junho, a gente comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente. Essa data foi definida em 1972, numa assembleia da ONU (Organização das Nações Unidas), para fazer refletir sobre a preservação da natureza.

Mas o que é natureza, afinal? “Para começar, nós! Ser humano é natureza!”, nos lembra a educadora Ana Carol Thomé, do Ser Criança é Natural @sercriancaenaturalum projeto super bacana que busca ajudar as famílias a reparar um tanto mais no que é natural e a colocar esses elementos em seu cotidiano.

Criança na natureza

As crianças são super sensíveis a esse tema. Essa nova geração parece que nasceu mais atenta e sensibilizada para as necessidades de cuidarmos de nós e da vida que nos rodeia, apoiando a nossa sobrevivência.

Além disso, bebês e crianças pequenas precisam de ambientes e de elementos naturais para desenvolver de forma saudável suas três principais dimensões: física, emocional e intelectual.

Mas como manter o contato com a natureza em tempos de isolamento?

A natureza oferece uma diversidade de materiais, texturas, formas, cheiros, desafios físicos… Tudo essencial para as crianças! Imagem: Estela, fada da floresta, de Marie-Louise Gay

“Nesses tempos de quarentena tenho convidado todas as pessoas a abrirem suas janelas e perceberem o mundo lá fora. O ar fresco, o sol, a noite, plantas. Manter as janelas abertas, contemplar, sentir são ações que ativam nossas percepções, nutrem nossa sensibilidade, nos conectando com a natureza de fora e de dentro”, diz Ana Carol.

Separamos aqui 3 dicas que encontramos em perfis que tratam do tema — para crianças e para adultos –, listamos 3 brincadeiras com elementos naturais, trouxemos 2 programas que podem ser bacanas de ver / ouvir com os pequenos e ainda fizemos uma lista de 7 livros imperdíveis para quem quer ler e se emocionar com a natureza em nós.

Bora!

Da janela

Navegamos por alguns perfis que trazem ideias muito muito muito bacanas para aprender, se divertir e aproveitar a natureza em casa. Além disso, selecionamos um documentário e um podcast para curtir em família:

1) Experiências da janela:

O perfil do Ser Criança é Natural nas redes sociais — @sercriancaenatural — posta semanalmente “desafios” para as crianças e famílias realizarem envolvendo a natureza. Por exemplo: anotar quantas e quais árvores você encontra no caminho da escola.

Agora, em temos de isolamento, os desafios ganharam o selo “da janela”. E as sugestões de interação com a natureza se adaptaram às limitações de mobilidade.

Está no ar, por exemplo, um convite a observar o sol:

Onde ele nasce? Qual caminho faz pelo céu? Em que momento está mais alto e forte? Onde se põe? Como tem sido esse por do sol? Quantas cores diferentes o sol assume ao longo do dia, desde a manhã até desaparecer, no finzinho da tarde?

De quantas cores fica o céu aí na sua casa ao longo do dia? Imagem: Qual é a cor do amor, de Linda Stracham (texto) e David Wojtovycz (ilustrações)

Já na série “da janela”, rolaram experiências com o canto dos pássaros, a direção dos ventos e até a identificação dos tons de verde que conseguimos ver olhando para fora.

E olha que bacana, vindo por aqui, você consegue baixar um PDF com todas as experiências publicadas até hoje.

///

2) Pra ouvir juntos

Vencedor do prêmio APCA em 2016, o podcast Maritaca explora temas do interesse das crianças — um tema por episódio — combinando narrativas orais, participação dos pequenos ouvintes, músicas, brincadeiras e muita pesquisa para trazer informação e diversão verdadeiramente innteressantes, que não subestimam a capacidade das crianças.

Ouça aqui três dos nossos preferidos: Insetos, Absurdo e Absurdo 2.

Mais uma opção? Temos!

Coisa de criança ajuda os pequenos curiosos a descobrir como as coisas funcionam de uma forma divertida e ao mesmo tempo científica. De onde vem as ondas?, Por que o céu é azul?,  Por que chove? são algumas das perguntas que Thiago Queiroz e Anne respondem durante os programas.

Ouça aqui um dos nossos queridinhos: Como surge o arco-íris.

 

///

3) Pra saber mais do Nosso Planeta

Série com produção original Netflix, e aclamada pela crítica, mostra como o aquecimento global atinge todas as criaturas vivas. Com imagens fantásticas e o cotidiano de animais raros, faz pensar no impacto das nossas ações, mostrando como vivem nossos companheiros de “casa”.

///

Pra brincar

Essas dicas vieram direto de um post que fizemos no comecinho da quarentena. Elas levam em consideração os interesses dos pequenos e as orientações de pesquisadores e educadores da infância, como Emmi Pikler, Elinor Goldshmeid e Maria Montessori.

1- Muito verde

Que tal incluir os pequenos nos cuidados diários com as plantas? A rega, a poda, a adubação… Além de ajudar, eles podem também plantar e acompanhar o desenvolvimento das plantas.

Neste post aqui, há várias dicas de como plantar com as crianças em casa. Uma delas, por exemplo, é escolher espécies que sejam fáceis de manejar e que brotem rápido, para aplacar a ansiedade dos pequenos.

Cuidar das plantas em casa! Imagem: Juju e a árvore da amizade, de Fabio Quinteiro

É o caso do agrião, por exemplo. A cebola também brota em casa, na água primeiro. Só depois deve ser transportada para a terra. E tem a clássica experiência do feijão cultivado num algodão úmido (que depois de brotado, também pode ir para a terra).

Uma dica bacana é estimular as crianças a registrarem cada etapa, do plantio à germinação e ao crescimento. Vale foto, texto escrito, desenhos…

2- Olha a água!

Crianças amam esse elemento, não é mesmo?

Que tal montar um espaço de exploração da água? Se você tem uma área externa em casa (quintal ou varanda), pode encher um ou duas bacias, de tamanhos diferentes entre si, e deixar potes, colheres, conchas e outros recipientes à disposição.

As crianças, especialmente as pequenas, vão amar. Elas gostam muito de fazer o que a psiquiatra e educadora italiana Maria Montessori chamava de “transferência de líquidos”, que nada mais são que deliciosas brincadeiras com a água em recipientes diversos.

Não tem quintal? Não tem problema. A transferência de líquidos pode funcionar muitíssimo bem no banheiro, na cozinha ou em qualquer área úmida da casa (com piso frio e que possa ser molhada).

Para evitar que a “molhação” se espalhe demais, você pode delimitar a área de brincadeira molhada com um tapete emborrachado, que, de quebra, já ajuda a diminuir riscos de escorregar no piso molhado.

Um pouco de água e muita imaginação! Imagem de O caracol e a baleia, de Julia Donaldson (texto) e Axel Scheffler (ilustrações)

Outra dica com água? Na mesma bacia, cheia pela metade, coloquem bichinhos de brinquedo, miniaturas, utensílios de cozinha, garrafas plásticas vazias e limpas.

Que história as crianças podem contar e inventar nesse “mar”? A garrafa pode ser um submarino? E o patinho de borracha, vira o quê?

3- Lupa, folhas, flores, insetos!

Em casa, há seres minúsculos, pequeníssimos, para os quais nem damos muito bola, mas que as crianças amam!

Com uma lupa, um lápis e um caderno, nossos filhos podem explorar folhas (pode ser até de alface!), flores caídas dos vasos, um inseto que estacionou na parede…

Depois, podem desenhar o que viram e observaram pela lente de aumento. Que tal organizar com eles essa expedição pela “floresta”?

///

A natureza nos livros

Uma das formas de manter a natureza pertinho é através dos livros e histórias, que nos tocam e nos fazem pensar em como somos integrados ao ambiente natural.

Separamos aqui 7 histórias potentes para refletir sobre o tema.

1-) Juju e a árvore da amizade

Autor/Ilustrador: Fabio Quinteiro
Temas: Amizade / Convivência social / Coletividade / Solidariedade / Preservação da natureza e meio ambiente
Faixa Etária: A partir de 2 anos (leitura compartilhada) ou a partir de 6 anos (leitura independente)

Juju, a menina alegre e divertida que adorava cores e brincava de associá-las a diferentes significados, agora tem um novo desafio: cuidar bem de seu jardim de amigos e deixar a vida mais colorida, compartilhando experiências e aprendizados por aí!

>>POR QUE LER: Nesta história, natureza e relações se entrelaçam, mostrando que somos todos parte de um mesmo organismo. E, olha que legal, há muitas ideias de como estar pertinho das plantas, mesmo em casa.

///

2-) Amélia e o peixe

Autora / Ilustradora: Helga Bansch
Tradutor: José Feres Sabino
Temas: Defesa dos animais / Amizade / Respeito às diferenças
Faixa Etária: A partir de 3 anos

Em seu primeiro dia à beira-mar, Amélia se sente intimidada pelo novo ambiente: as ondas e o cheiro da maresia a deixam um pouco desconfortável. A súbita aparição de um simpático peixinho, que se transforma num colega de brincadeiras, deixa-a mais à vontade. Mas será uma boa ideia levar o peixe pra casa?

>>POR QUE LER: Com as lindas ilustras aquareladas, Helga nos convida a refletir sobre o sentimento de posse que, às vezes, temos em relação aos outros seres vivos e à natureza. Um peixe no aquário é como um peixe livre? Vale para as relações com  todos os seres, sejam humanos ou não.

///

3-) Ludi vai à praia – a odisseia de uma marquesa

Autora: Luciana Sandroni
Ilustrador: Eduardo Albini
Temas: Meio ambiente / Relacionamento familiar / Defesa dos animais
Faixa Etária: A partir de 8 anos

Ludimila estava em casa, entediada, tentando resolver os enormes problemas em que tinha se metido: estava em recuperação – justo em Português, para horror da mãe jornalista –, tinha dever de casa e só queria ver televisão. Foi então que uma estranha brisa soprou pela janela, e Ludi resolveu ir à praia do Flamengo, bem no instante em que uma onda enorme apareceu. Engolida pelas águas, Ludi – ou a Marquesa dos Bigodes de Chocolate – se viu no Fundo da Baía de Guanabara, cercada de criaturas que, junto com o Zé do Polvo, a Dona Concha, o Tatuí e o Rei Barbatano, precisavam de ajuda para despoluir o reino dos peixinhos, moluscos e crustáceos.

>>POR QUE LER: Ficção nacional para os maiores, aborda o tema da poluição das praias e águas, tão atual. Em um texto fluido e gostoso para ler, faz referências a Monteiro Lobato, Dorival Caymmi e a outros ícones da nossa cultura.

///

4-) O caracol e a baleia

Autora: Julia Donaldson
Ilustrador: Axel Scheffler
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Rimas / Meio-ambiente / Coletividade / Conscientização / Amizade / Superação
Faixa Etária: A partir de 3 anos (leitura compartilhada ou a partir de 7 anos (leitura independente)

Um pequeno caracol, que desejava conhecer o mundo, pede carona a uma enormes baleia. Juntos, começam uma viagem cheia de aventura pelos sete mares. Mas a baleia não contava com um detalhe.

>>POR QUE LER: Dos premiados autores de O Grúfalo, a obra nos leva por um passeio pelo natureza e ainda traz uma importante reflexão: mesmo os pequenos gestos podem ter enormes resultados.

///

5-) Estela, fada da floresta

Autora: Marie-Louise Gay
Ilustradora: Marie-Louise Gay
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Meio ambiente / Conto / Brincadeiras / Relacionamento familiar / Amizade
Faixa Etária: A partir de 2 anos

Estela leva seu irmão caçula a um passeio animado e inesquecível pela floresta. Marcos queria ver fada, e Estela já havia visto centenas delas. Uma aventura repleta de novas experiências que farão a curiosidade de Marcos entrar em ebulição. Mas Estela, atenciosa irmã mais velha, vai desvendando os mistérios que, a cada passo, despertam a imaginação de Marcos. Claro, à sua maneira.

>>POR QUE LER: O livro traz o clima — e os elementos — da floresta para os pequenos leitores. Texto divertido, delicado e em caixa alta, com as ilustras lindas da premiada canadense Marie-Louise Gay.

///

6-) Tapajós

Autor: Fernando Vilela
Ilustrador: Fernando Vilela
Temas: Aventura / Animais / Estações do ano / Geografia
Faixa Etária: A partir de 3 anos

Cauã e Inauê vivem às margens do Jari, um pequeno canal que liga o rio Amazonas ao rio Tapajós, no estado do Pará. Os irmãos vivem em uma casa simples, de palafitas, com os pais e Titi, o jabuti de estimação da família. Mas o personagem principal do livro é, na verdade, o próprio cenário da pequena vila, que é de encher os olhos.

>>POR QUE LER: As ilustrações do premiado artista plástico Fernando Vilela nos convidam a uma viagem pelas fauna e flora brasileiras, tão exuberantes, potentes, ricas e diversas.

///

7-) Escola de chuva

Autor: James Rumford
Ilustrador: James Rumford
Temas: Meio ambiente / Pluralidade cultural / Conto / Humanos / Incentivo à leitura / Superação / África / Gratidão / Dia Nacional da Consciência Negra (20 de Novembro) / Cooperação
Faixa Etária: A partir de 4 anos

É o primeiro dia de aula em Kelo, no Chade, na África. As crianças caminham pela estrada. “Vou ganhar um caderno?”, pergunta Tomás. “Vou ganhar um lápis? Vou aprender a ler como vocês?” Mas quando ele e as outras crianças chegam à escola, não há sala de aula nem carteiras. Apenas uma professora. “A primeira lição é construir a nossa escola”, diz ela.

>>POR QUE LER: Premiadíssima, essa obra potente nos mostra vários exemplos de relação, incluindo a nossa com o meio ambiente que nos cerca. Qual é a nossa responsabilidade? O que podemos construir juntos?

///

E você? Como coloca natureza no seu dia a dia em casa? Conte para a gente nos comentários!


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP