Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Como e por que criar uma biblioteca do humor para as crianças em casa

16/04/2021

“Literatura infanto-juvenil é levar a sério as perguntas que não fazem sentido”, diz o autor e ilustrador Renato Moriconi, conhecido por seus livros repletos de um humor bem característico.

Já parou para pensar / observar a relação das crianças com o humor, com o lúdico, com o que parece não fazer sentido? O prazer, para elas, está em explorar o desconhecido, em reforçar o conhecido e em criar.

como criar biblioteca de humor em casa 1 eu sou uma meninaRir é sinal de saúde! Vamos gargalhar! 🙂 Imagem: Eu sou uma menina, de Yasmeen Ismail

A lógica adulta — ou que “faz sentido” — não faz o menor sentido para quem precisa descobrir, conhecer e inventar. As crianças, assim como os poetas, olham a vida de um outro jeito: transveem a realidade, desinventam as coisas, como dizia Manoel de Barros.

Assim, um pente vira navio, uma colher é um dragão e um quintal é “maior que o mundo”. Quer coisa mais divertida que esse universo lúdico das crianças, tantas vezes representado nas mais engraçadas obras para elas?

Por que humor em uma biblioteca?

Mas por que rir com os livros? Livro não é coisa séria? E quem disse que rir não é sério?? 😀

Listamos abaixo alguns ótimos motivos para gente ter um biblioteca engraçada, divertida e despretensiosa em casa. Lá vão eles, mas não necessariamente nessa ordem 😉

1) Rir faz bem para a saúde

Sim! Rindo, aliviamos a pressão do estresse e das emoções “fortes”, como a raiva ou a vergonha, por exemplo.

O humor pode ser bom para o sistema imunológico, segundo um estudo do HCor (Hospital do Coração), justamente por isso: mais hormônios bacanas circulando e menos circulação daqueles que diminuem imunidade e pressionam o coração.

///

2) É rindo que a gente se entende

Rir ajuda demais a trabalhar as emoções e a se expressar. O humor — sobre si, sobre o mundo — é essencial para a gente elaborar o que sentimos diante de situações complexas.

Sabe a clássica “estou rindo, só que é de nervoso”? É um pouco mesmo essa a ideia: rir coloca para circular essas emoções e, ao mesmo tempo, nos desafia a olhar para elas de um ponto de vista mais flexível e menos “duro”.

///

3) Ler por prazer

Os livros que não ensinam nada são os melhores! Se tornar leitor é, antes de mais nada, ler porque gosta. Quem lê só por obrigação, não é necessariamente um leitor e muito provavelmente vai abandonar a leitura se não for mais obrigado a ela.

Já quem gosta de ler e se diverte lendo, é o contrário.

Claro que rir não é a única forma de ter prazer lendo. Muito pelo contrário. Livros complexos e nada engraçados são essenciais na representação da vida — arte, afinal.

Mas as obras divertidas, irreverentes, irônicas são pouco lembradas na hora de formar leitores e isso não faz justiça ao potencial desse tipo de narrativa na formação dos pequenos (e grandes).

///

4) Memó-RIA

Você pensa no tipo de memória que está ajudando seus filhos a criar? Como será que eles vão se lembrar da infância?

Momentos de risada, diversão, felicidade são os mais duradouros na nossa memória, aqueles dos quais vamos nos lembrar por mais tempo e com mais carinho…Os momentos divertidos de leituras podem ser parte dessas memórias <3

///

5) Rir na cara do perigo

O medo é um sentimento muito presente no desenvolvimento das crianças. Uma das emoções-base (lembra do filme Divertidamente?), ele vai surgindo em diversas situações cotidianas dos pequenos e revela muitos conteúdos do inconsciente.

Também mostra as oportunidades de os pequenos amadurecerem. Importante, não?

Exatamente por isso, as crianças amam livros com vilões exagerados, engraçados, feiosos, que surgem em situações bem-humoradas, em que a suposta força ou maldade deles é ridicularizada ou subvertida.

Riso na certa!

///

Formando leitores que amam ler — e rir — um bom livro

Já falamos muito sobre esse tema aqui no Blog da Brinque, mas sempre voltamos a ele, porque, às vezes, adultos cheios de compromissos e preocupações que somos, não reparamos na importância que o humor e o prazer têm na formação leitora dos nossos filhos e das nossas filhas.

O humor na formação leitora, dicas e títulos para ler no Dia do Riso

Vale dar uma lida neste post acima, pois trazemos nele várias dicas de como inserir o humor no dia a dia da família e nas escolhas das obras das crianças.

Por exemplo: que tal criar um álbum de “gargalhografia”? Sabe o que é? Explicamos tudim no post acima! 😉

5 dicas para criar uma biblioteca de humor em casa

Ok, já sabemos que vale super a pena investir numa biblioteca de humor para as crianças e em incentivá-las a ler por prazer, para rir.

Mas como escolher essas obras? Sempre é um desafio começar a selecionar os livros das crianças, sejam eles de humor ou não. Então, vale, antes de tudo, aplicar os filtros de escolha que você usa para outros livros.

Para além disso, dê uma olhada aqui embaixo nas 5 dicas especificas para criar sua biblioteca de humor para as crianças em casa:

1) Vá com calma: a pressa é inimiga da diversão

Vale para qualquer livro, mas também e principalmente para os livros de humor: não tenha pressa de aumentar a biblioteca rapidamente.

Nem de decidir se aquele livro-candidato a um cantinho na sua estante é mesmo escolhido. Leia várias vezes, repare com calma e cuidado em como se sente, se a obra arranca mesmo risos, se você gosta da abordagem.

Enfim, tome seu tempo para usufruir daquele humor e ver se ele é seu tipo de humor.

///

2) Use e abuse do seu gargalhômetro interno

Você riu? Você achou engraçado? Você sentiu vontade de compartilhar essa gargalhada com mais alguém?

Hum, ouça esse “gargalhômetro”, até porque é você quem vai mediar a obra: o seu humor certamente vai contagiar os pequenos leitores a quem apresentar o livro.

///

3) Resgate suas memórias humorísticas de infância

Do que você ria quando pequena (o)? O que mexia com você? Lembra de livros que faziam você rir? Que tal começar a biblioteca por esses livros, por essas narrativas? Vale resgatar de sebos os que não têm novas edições e ir atrás das novas, quando houver!

///

4) Lembre-se de que ri melhor quem ri junto!

Mostre para as crianças os livros que você acha que podem agradá-las. Observe como elas reagem, se elas gostam ou não, se o humor delas é parecido com o seu…

Vá refinando esse olhar.

Quanto mais você conhecer o humor dos pequenos, mais fácil será a escolha.

///

5) Não se esqueça da biblio-(divertida)-diversidade

Já ouviu falar em bibliodiversidade? A palavra loooonga e estranha significa nada mais que ter livros com temas, gêneros literários, abordagens, tipos de ilustrações e de autoria bastante diversos.

Isso vale para livros no geral e também, claro, para os de humor. Afinal, há vários tipos de humor e diversos temas que podem ser abordados com esse viés do riso, não é mesmo?

///

E você? Que livros te fazem rir até chacoalhar a barriga?

Livros Relacionados


Sem comentários no momento

Editora Schwarcz S.A. - São Paulo
Rua Bandeira Paulista, 702, cj. 32
04532-002 - São Paulo - SP