Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Livros e ideias para começar este ano novo levando otimismo para as crianças

05/01/2021

Os pessimistas que desculpem, mas ser otimistas é essencial 😉

Quem tem fé na vida e acredita que tudo pode melhorar tem também mais saúde, mais coragem e age com mais leveza e bom humor!

Cores, natureza e o olhar dos pequenos: quer mais otimismo que isso? Imagem: Três, de Stephen Michael King

Longe de ser da turma que faz de conta que está tudo bem, mesmo quando não está — esse hábito que vem sendo chamado de “positividade tóxica” –, o otimista é quem reconhece a realidade como ela é, mas procura as brechas possíveis para melhorá-la ou para se afastar do que não vai mesmo funcionar.

Depois de um ano tão desafiador como o que passou, com tantas crianças e jovens vivendo problemas de saúde mental, levar otimismo aos pequenos pode ser uma boa ideia para que 2021 seja mais leve.

Otimismo capa de revista

O tema é tão importante que foi capa da revista Crescer de dezembro. A reportagem, assinada pela jornalista Malu Echeverria, mostra, entre outras coisas, que otimismo é bom para a saúde física e para a mental.

Além de trazer dicas para compartilhar uma vida mais otimista com os pequenos, o texto também nos conta que um ambiente otimista pode ser mais preponderante até que a genética para definir de que forma as crianças verão o mundo.

Já parou para pensar nisso?

Uma boa dose de ação

Mas será que dá para “exercitar” o otimismo sem cair no velho “jogo do contente”? Suprimir emoções tidas como “negativas”, como raiva e frustração, fingindo que está tudo bem não é ser otimista.

E o otimismo tem a ver com a ação, com a fé de que é possível transformar situações, ressignificar experiências, deixar hábitos e situações que só fazem mal e investir no que pode dar certo, cotidianamente.

Não requer, no entanto, grandes doses de ousadia, ao menos não no começo 😉

Ser otimista é uma prática que tem a ver com o processo, com o cotidiano e com fortalecer tudo aquilo que nos faz bem e com aumentarmos nosso estoque de amor e autoconfiança…

5 ideias para viver mais otimista

Como fazer isso? Os primeiros passos podem ser mais fáceis do que parecem.  Trouxemos algumas ideias simples, que renovam nosso ânimo e que podemos fazer juntinhos com as crianças.

Para compartilhar e também para sermos exemplo para aqueles que amamos. Quer ver?

1) Ouça as crianças

Os pequenos costumam ser mais otimistas que a os maiores. Primeiro porque têm menos informação sobre os percalços da realidade…

Mas também graças ao olhar generoso, à autoconfiança e à uma certa intuição de que sim, há formas de as coisas serem melhores, se a gente olhar com os olhos certos.

Se estiverem se sentindo amadas e acolhidas, crianças podem nos surpreender com formas muito criativas e propositivas de resolver problemas que, às vezes, nos são muito pesados.

Em momentos de conflitos, com situações frustrantes do cotidiano, na hora de repensar uma situação que está muito aborrecida, procure escutar as crianças envolvidas.

Confie nelas.

Claro que os limites são você quem decide e que é preciso não esperar delas uma maturidade que são incapazes de ter, mas procure apenas ouvi-las.

Como elas resolveriam algum conflito numa nova rotina? O que elas mesmas fariam para resolver a disputa do brinquedo com o irmão mais novo? O que elas vêem de tão incrível nesse caminho que faz com que não se aborreçam com o fato de demorar mais para chegar?

Sim, as crianças param para observar insetos, pegam flores, enfiam o dedo no buraquinho do muro, querem andar sobre as muretas e pular poças. Mesmo quando estamos correndo — e sempre estamos.

Apenas sorria com elas! 🙂

///

2) Brinque

O que faz você sorrir? Ler? Observar as plantas? Botar a roupa de molho? Fazer café? Assar um bolo? Banho quente?

Brinque! Brinque com isso. Não como as crianças, claro, pois somos adultos. Mas mesmo a vida adulta é cheia de ludicidade. O cheiro da comida, as texturas, o calor da água caindo na nuca no chuveiro, o movimento de passar um pano no chão ou a delicadeza de arrumar com carinho a nossa cama.

Por que essas tarefas precisam ser duras? Por que precisamos fazer todas elas do mesmo jeito — e todos os dias?

Lavar a louça pode ter sua graça. Ainda que você ligue uma música e cante alto na cozinha. Por que não? Ache sua forma de encontrar graça nas experiências comuns, banais.

Porque elas podem ser generosamente lúdicas e, afinal, elas também são a vida.

Chame as crianças para essa brincadeira “de adulto” e permita-se viver com elas as brincadeiras delas também.

///

3) Caminhe com os pequenos

Se sua experiência a pé na cidade é mínima ou sempre na correria, experimente aproveitar mais. Quase como um turista faria.

Caminhe com as crianças. Sem pressa e, ainda mais especial, sem destino. Pare para ver as flores, para escolher a esmo as esquinas onde dobrar, para reparar na casa pintada de uma cor diferente…

Para energizar e oxigenar o corpo e o coração. E para “jogar conversa fora” com os pequenos, o que é um ganho enorme! 🙂

///

4) Aprenda uma coisa nova

Que tal você e os pequenos aprenderem alguma coisa nova juntos? Uma língua? Uma linguagem artística? Um passinho de dança? Cozinhar?

Essa dica é bacana porque nos aproxima dos pequenos, nos ajuda a identificar ainda mais interesses em comum com eles também nos mostra — e a eles — a nossa força para construir o novo.

Um novo prazeroso e feliz!

///

5) Dance e cante com os pequenos

Sabe aqueles momentos que a gente nunca mais esquece? Criar essas memórias com os pequenos é fácil e delicioso. Uma das ideias mais bacanas é essa: ligue o som, chame as crianças e aproveitem!

Quais músicas você ama? E quais eles adoram?

Crie playlists e não tenha medo de usá-las. Aumento o som, dancem, cantem. E vale tanto em momentos tranquilos, de ócio, quanto naqueles em que estamos arrumando a casa, a cama, dando ordem na casa.

A hora é de fazer o almoço e as crias estão sem paz? Chame pra dançar e cantar com você!

5 livros para ser mais otimista!

Histórias sempre nos ajudam a olhar diferente para o cotidiano. Olha só essa seleção de obras incríveis para trabalhar o otimismo em crianças e adultos!

1) A macaquinha

Na floresta, tudo parece grandioso demais para a macaquinha. Se tem algo que ela ouve por lá é: você é muito pequena para fazer isso. Mas quem disse que tamanho é documento? Um belo dia, ela decide se aventurar.

Será que ela consegue?

///

2) Três

O cachorro Três é um grande explorador! Anda pela cidade com as suas três patas, sempre muito contente, fazendo amigos e aprendendo coisas novas. Ele descobriu, por exemplo, que as pequenas seis-patas, as formigas, têm casas subterrâneas e que a oito-patas, uma aranha, construiu sua casa lá no alto para se proteger do trânsito da cidade.

Desvendando toda a riqueza que há nas diferenças, Três, do premiado autor Stephen Michael King, nos mostra a leveza e alegria de perceber que podemos ser felizes do jeito que somos!

///

3) Socorro em: uma vida nada fácil

Socorro, uma barata carismática, irá nos divertir contando as suas aventuras nos tempos em que morava no Hotel Chicz – antes de conhecer aquele simpático elefante, o Gildo. Ela e seus amigos inseparáveis Zoro, Luiz e Angélica, decidem montar uma banda de rock, mas, para alcançar o sucesso e o coração da rainha Belhabeth II, terão de participar do concurso de bandas do colégio e lidar com o azedo, o malvado, o esticado numa máquina de fazer macarrão, o Chatão Lechatê – ou melhor, Monsieur Pierre Lechatê, o gerente do hotel. Ainda bem que Socorro e os amigos, os três mosqueteiros, sabem muito bem como conquistar um público exigente.

///

4) Manu e Mila

Céu anil, jardim florido, sol e nuvens branquinhas. Mila acordou inspirada e foi logo nomeando suas sensações com poesia. Sabia que aquela manhã deliciosa lhe traria um caminho: “Hoje é um dia perfeito para encontrar a alegria”, disse ao Manu, que  logo contestou: “Mas onde encontrar a alegria?”.

Em suas pequenas grandes convicções, eles foram, ao ar livre, procurar o que podia estar ali sob seus olhos. No alto de uma árvore, debaixo de uma joaninha. Manu achava uma coisa, a garota Mila encontrava outra. O que não sabiam é que essa busca tinha muito em comum: o viver, na delicadeza do que o outro nos apresenta.

///

5) Mustafá

Mustafá conta a história de um garoto que teve de sair de seu país com a família e aos poucos descobre seu novo lar. A Lua, as estações, as flores, os insetos e a música desse lugar ora lhe lembram a sua antiga terra, ora o encantam pelo que têm de diferente do que ele já conhece. Mesmo com esse mundo novo a descobrir, Mustafá sente-se invisível ali onde as pessoas falam uma língua que ele não entende. Mas, um dia, uma menina, com um gesto simples, irá mostrar a ele que a amizade, a gentileza e o afeto superam as fronteiras entre línguas e lugares.

///

E você? O que tem feito para ser mais otimista com os pequenos por aí?

 

 

 

 

 


Sem comentários no momento

Editora Schwarcz S.A. - São Paulo
Rua Bandeira Paulista, 702, cj. 32
04532-002 - São Paulo - SP