Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

5 dicas de…por que, quando, como ler para os bebês e formar pequenos leitores

07/12/2018

Os bebês são ótimos leitores. Pode soar estranha essa frase, uma vez que os pequeninos ainda nem falam, mas veja só: bebês são ouvintes incríveis, curiosos, sensíveis e interessados por tudo o que os cerca, inclusive e especialmente a linguagem.

“Onde começa a história”/ Marie-Louise Gay (texto e ilustrações)

“Podemos ler para eles desde sempre!”, explica Edi Fonseca, pedagoga, especialista em contação de histórias e pesquisadora da leitura para bebês. Além de colaborar com A Taba e com a Revista Emilia, Edi é formadora de professores, pelo Instituto Avisa Lá, e de gestores, pelo Cedac.

Já a partir dos cinco meses de gestação, aproximadamente, o embrião é capaz de ouvir sons. Não à toa, reconhece a voz da mãe quando nasce, e ouvi-la é uma das formas de saber que está seguro. Então, vale ler até mesmo para a barriga.

Edi Fonseca ressalta que ler para o bebê é como dar um “banho de linguagem” nele e ampliar seus recursos interiores e sua capacidade de imaginar.

>>Por que ler para bebês? Veja aqui!

 

Blog da Brinque selecionou cinco dicas muito especiais para você ler para o seu pequenos leitor e saber o que, como e por que criar esses momentos de vínculo com os bebês.

1) Não se preocupe se o bebê “está entendendo”a história: o momento compartilhado, que cria vínculos para a vida toda, é muito mais importante do que a compreensão racional do bebê sobre as palavras e histórias. As crianças muito pequenas estão atentas ao momento de carinho e dedicação e é isso o que desejam.  “O livro não é nada. Se fica lá parado, é um objeto decorativo. Quem vai dar sentido [ao livro] é a relação. Juntos, estamos apreciando as mesmas coisas, estamos olhando para a mesma ilustração, estamos pensando na mesma história.”, explica Edi. 

 

Isso é alimento afetivo, alimento emocional, bagagem cultural para o resto da vida

Edi Fonseca

 

2) Ofereça poesia e brincadeira com as palavras: os bebês adoram poesia. São muito bons leitores desse tipo de texto. Isso porque a poesia tem ritmo, e os pequenos se sentem muito atraídos pelo ritmo. “Desde a barriga ouviam o ritmo do coração da mãe”, explica Edi. As rimas também encantam os pequenos pela musicalidade -ritmo novamente. Histórias de acumulação -quando vão se somando situações e personagens a uma situação inicial, como em A Velha a Fiar ou no livro Carona na Vassoura, por exemplo- ou de repetição -um bom exemplo é Bruxa, Bruxa, venha à minha festa– também fazem sucesso entre os muitos pequenos.

3) Procure livros de que você goste: a livreira espanhola Lara Meana, que também escreve livros e é mediadora de leitura, sempre diz que não é possível apaixonar outra pessoa por algo de que não gostamos. Nosso entusiamo entusiasma os nossos filhos e faz com que ele tenham vontade de compartilhar nossa felicidade. É importante escolher para ler com os pequenos uma obra que te emocione de verdade.

“Perto de sua casa, caminhando animada, dona cabra encontrou uma lâmpada encantada”

 

“Abra pra cabra”, de Fernando Vilela

 

4) Amplie o repertório fugindo das simplificações: muito rosa, muito azul, muitas cores. Desenhos de traços infantilizados. Estereótipos. Fuja deles. Os bebês estão ávidos pelo mundo e têm as ferramentas necessárias para interiorizar um mundo diverso, complexo, com todas as cores, com traços diferentes, com a personalidade artística de quem desenhou aquela imagem… Pense que todas essas diferentes informações, emoções, sensações vão criando um repertório para o bebê e fortalecendo suas habilidades emocional e estética, o que facilita sua relação com o mundo e sua capacidade criativa -de criar respostas novas e mais adequadas a situações potencialmente desafiadoras. As imagens são fundamentais para os bebês. Escolha as melhores! 

5) Leia exatamente como está no livro: às vezes, diante de uma palavra menos usual ou de uma construção mais complexa, não resistimos à tentação de trocar por opções mais simples. Edi Fonseca recomenda ler exatamente como está no livro. É justamente a “música diferente” dessas palavras “difíceis” um dos encantos da leitura para os pequenos. A ponto, lembra ela, de os bebês as guardarem de cor e chamarem a atenção dos adultos quando não leem “direitinho”.

 

 

 


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP