Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Para os maiores: seleção de livros para ler com pré-adolescente e jovens leitores

26/07/2019

Segundo a mais recente pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pela Fundação Pró-Livro, 86% dos pré-adolescentes -crianças com idades entre 11 e 13 anos- são leitores. Desse universo, 56% declarou ler por gosto.

Apaixonar-se pela literatura, refletir sobre as sensações que um livro, uma história, um personagem causam e ter momentos de leitura por prazer são essenciais para uma formação leitora sustentável.

Aqui, neste post, o Blog da Brinque ouviu especialistas sobre esse assunto e mostrou por que e como manter uma rotina leitora com e para crianças maiores.

Um acervo na medida

Um acervo afinado com o gosto e as preferências dos adolescentes é fundamental. Eles têm, afinal, mais autonomia leitora e é preciso ouvir o que preferem, se abrir para o que escolhem e procurar oferecer — em sala de aula ou em casa — opções de qualidade afinadas com esse gosto.

A queda dos Moais, de Blandina Franco, Patricia Auerbach (texto) e José Carlos Lollo (ilustrações)

Abaixo, você confere uma seleção diversa de livros, feita pelo Blog da Brinque, para essa faixa etária. Há uma série popular de aventura com protagonistas jovens; um livro que ousa no formato, incorporando outras linguagens contemporâneas à narrativa literária; e um outro que, cheio de humor e irreverência, aborda com delicadeza um tema atualíssimo: os refugiados.

///

O clube dos caçadores de códigos

Autora: Penny Warner (texto e ilustrações)
Tradutora: Regina Dell’Aringa
Temas: Aventura / Investigação / Amizade / Cooperação
Faixa Etária: A partir de 9 anos

São três os títulos já publicados no Brasil dessa série premiada da americana Penny Warner, ela mesma uma aficcionada por códigos desde a quinta série, quando aprendeu código Morse. A série conta as aventuras de Cody, Quinn, Luke e M.E., integrantes do Clube dos Caçadores de Códigos, que se dedicam a escrever e resolver mensagens codificadas.

No primeiro volume, eles se juntam para desvendar estranhos sinais na janela do Homem Esqueleto, o vizinho sinistro de Quinn.

Já no segundo livro, é um misterioso e-mail fazendo alusão a um tesouro no ilha de Alcatraz que dispara a curiosidade – e o talento investigativo – do quarteto.

Recém-publicada, a terceira obra da série narra as tentativas do grupo de decifrar um intrincado mapa do tesouro de um famoso pirata da Califórnia.

>>POR QUE LER: As narrativas são organizadas de forma que os leitores vão decifrando os códigos e pistas junto com as personagens, enquanto leem o livro. Neste link, é possível fazer as carteirinhas de integrantes do clube com os dados do jovem fã.

>>APOIO AO PROFESSOR: As obras contam com projetos afinados com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), pensados para você, educador/a, trabalhar em sala de aula. O material do primeiro livro da série, por exemplo, pode ser baixado aqui.

///

A queda dos Moais

Autoras: Blandina Franco e Patricia Auerbach
Ilustrador: José Carlos Lollo
Temas: Ficção em 29 tipos de texto (crônica, lista, mensagem virtual, gráfico e outros) / humor / curiosidades
Faixa Etária: A partir de 8 anos

Estreia da premiada dupla Blandina e Lollo na Escarlate, o livro é resultado de uma parceria com a também premiada Patricia Auerbach (de O lenço). A história conta a viagem da família de Joaquim à Ilha de Páscoa para ver as gigantes estátuas dos Moais. Ao chegar lá, no entanto, as obras estão todas tombadas, sem explicação aparente. Será que vão conseguir desvendar o mistério?

>>POR QUE LER: A narrativa da aventura ousa no formato e é construída sem narrador: o trio de autores intercala 29 tipos de linguagem -incluindo mensagens de celular, folhetos de propaganda de agência de turismo e até HQs- para contar a experiência do menino e de sua família, no que ele considerou uma “viagem sem noção”.

No final do livro, uma brincadeira: o jovem leitor e sua família podem se inscrever no PasNo, o clube de Pais sem Noção, do tipo que leva os filhos para uma ilha cheia de estátuas caídas de cara no chão.

>>APOIO AO PROFESSOR: Clara de Cápua assina um projeto com dicas e atividades para antes, durante e depois da leitura da obra com seus alunos.

Abaixo, confira um divertido bate-papo com o divertido trio de autores:

///


Eu sou uma noz

Autora:Beatriz Osés
Ilustrador: Jordi Sempere
Temas: imigração / refugiados / solidariedade /
convivência social / identidade / astúcia
Faixa Etária: A partir de 8 anos

Essa história começa durante um julgamento, em um tribunal: Marinetti, uma advogada, está pedindo o direito de manter com ela uma “noz”, que caiu em seu quintal. A questão que está deixando perplexo o juiz do caso é que a castanha, na verdade, é um menino chamado Omar, que não cansa de declarar que “eu sou uma noz”.

Conforme a história se desenrola, vai ficando claro que Omar está fugindo de um lar em guerra e procurando um local seguro para uma segunda chance de sobrevivência. Encontra em Marinetti uma chance de refazer a vida. Sobrevindo, o menino traz consigo uma nova vida a todo o vilarejo onde chega.

>>POR QUE LER: Alternando o discurso em terceira pessoa – nas cenas do tribunal – com os relatos em primeira pessoa – nos depoimentos das testemunhas, a obra constrói uma narrativa profunda, emocionante e delicada sobre um tema duro e atual: os refugiados. As ilustrações também seguem o discurso do texto, alternando-se nas cores e formas nas duas situações discursivas.

>>APOIO AO PROFESSOR: Essa obra tem tanto o material com propostas para trabalhar a obra em sala de aula quanto um material extra, repleto de atividades complementares.

 

 


Sem comentários no momento

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP