Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Blog
 
 

BLOG

Três livros para conversar sobre sentimentos com as crianças pequenas

01/11/2019

Em resumo Aprender a manejar as emoções não é fácil. Mas a literatura infantil pode ajudar nessa tarefa, que é dos adultos, e é fundamental para o desenvolvimento dos nossos filhos e filhas

A psicóloga Danielle Rosselini, do canal Bom pra Cuca, conversou com o Blog da Brinque para falar de literatura infantil e sentimentos e contou que, para as crianças pequenas, manejar as emoções é muito difícil.

Desde muito pequenos, nossos filhos sentem todas as emoções básicas, como medo, raiva, alegria, nojo (lembra do filme Divertidamente? Pois é! Basicamente aquilo mesmo). Sentem fisicamente, no corpo mesmo.

O ratinho, o morango maduro e o grande urso esfomeado, de Audrey Wood (texto) e Don Wood (ilustrações)

Só depois de sentir fisicamente — e isso vale para nós também –, o cérebro dos pequenos vai analisar e interpretar o que sentiu e definir um modo de lidar com isso. Conforme crescem, as crianças aprendem a nomear emoções e a manejá-las: ou seja, o que fazer num momento de raiva extrema? De que modos podem expressar esse sentimento?

Controlar a forma como as emoções são sentidas é impossível, o que fazemos é ajustar a interpretação e a expressão delas. Até isso é complicado para os pequenos e mesmo para nós, adultos. A literatura para crianças, diz Danielle, pode ajudar — e muito!

Com sugestões dela e outras da equipe do blogue, separamos aqui três livros que podem facilitar a comunicação de nós, adultos, com as crianças na hora de ajudá-las a lidar com o medo, a raiva, a frustração e a falar sobre situações desorganizadoras.

Veja a seguir a lista e porque ler com os pequenos.

1- A Macaquinha

Autora / Ilustradora: Marta Altés
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Coragem, superação, bullying, natureza, animais, convivência social.
Faixa Etária: A partir de 2 anos (leitura compartilhada) ou a partir de 6 anos (leitura independente)

Na floresta, tudo parece grandioso demais para a macaquinha. Se tem algo que ela ouve por lá é: você é muito pequena para fazer isso. Mas quem disse que tamanho é documento? Um belo dia, ela decide se aventurar. E não é coisa pouca: a ideia é atravessar a floresta e o rio fundo para subir na árvore mais alta da mata. Será que ela consegue?

>>Por que ler: Danielle Rosselini indicou esse livro porque ele trata de modo divertido e lúdico sobre o enfrentamento do medo. A pequena macaquinha que dá nome à obra, cansada de ouvir que não pode isso e não pode aquilo, decide testar do que é capaz com alegria. Medo e alegria: dois sentimentos básicos e fortes nos pequenos, com os quais as crianças vão se identificar.

///


2- O ratinho, o morango maduro e o grande urso esfomeado

Autora: Audrey Wood; Ilustrador: Don Wood
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Ética / Leitor personagem / Animais / Astúcia / Medo / Amizade
Faixa Etária: A partir de 2 anos

O ratinho, que protagoniza as cenas, tenta esconder um morango maduro de um grande urso que, aliás, não aparece na história. Um interlocutor oculto, mais esperto ainda que o rato (e com o qual a criança se identifica), é quem vai narrando a história, ao mesmo tempo que convence o ratinho a dividir o morango com ele.

>>Por que ler: Nesta fábula, um ratinho colhe um enorme morango maduro e é convencido pelo narrador de que há ali um urso muito esfomeado espreitando para roubar a fruta. O medo torna-se real, embora o urso mesmo nunca apareça, e o sentimento não é nomeado ao longo da história, dando tempo de o pequeno leitor identificar-se e elaborar sua interpretação, sem ser conduzido ou limitado.

///

3- Zeca Zangado

Autor e Ilustrador: Robert Starling
Tradutora: Gilda de Aquino
Temas: Convivência social / Dificuldade de expressão / Amizade / Cooperação / Relacionamento familiar / Autoconhecimento / Caixa Alta
Faixa Etária: A partir de 2 anos

Zeca é assim: não gosta nada dos planos que as pessoas têm para ele. Quando as coisas não saem como esperado, ele dá sempre um jeito de destruir tudo. Mas será que ele é mesmo “genioso”, como gostam de dizer, ou é assim porque ninguém procura saber o que ele quer de verdade? O problema é que Zeca não consegue nem defender seu ponto de vista.

>>Por que ler: neste livro divertido, Zeca sente que não é ouvido por ninguém. Isso o deixa muito muito bravo, e ele acaba descontrolado, sem saber lidar com o que sente. Quem nunca? Na fábula, Zeca vai descobrindo seu jeito de expor o que sente de uma forma mais saudável – e efetiva. Além de identificação imediata, o livro gera boas risadas nas crianças; o humor é uma ótima via de comunicação.

Zeca zangado, de Robert Starling (texto e ilustrações)

///

Você conhece algum outro livro bacana para indicar? Tem uma experiência para compartilhar? Fique à vontade! A caixa de comentários é sua! 😉


Comments ( 4 )

    • oi, Joelma, tudo bem? Obrigada! Rendem boas conversas, né? Um abraço. Equipe Blog da Brinque

  • Ótimas leituras….viajar com os filhotes no mundo das palavras…

    • oi, Rosângela, tudo bem? Delícia, né? Um abraço, Equipe Blog da Brinque

Grupo Brinque-Book
Rua Mourato Coelho, 1215 - Vila Madalena
São Paulo - CEP 05417-012 - SP